quinta-feira, novembro 30, 2006

Carlos Drummond de Andrade por Belchior

Toada do amor

E o amor sempre nessa toada:
briga perdoa perdoa briga.

Não se deve xingar a vida,
a gente vive, depois esquece.
Só o amor volta para brigar,
para perdoar,
amor cachorro bandido trem.

Mas, se não fosse ele, também
que graça que a vida tinha?

Mariquita, dá cá o pito,
no teu pito está o infinito.

Carlos Drummond de Andrade

Para fazer download:
http://www.badongo.com/file/1792320

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial