terça-feira, novembro 24, 2009

Lirinha por ele mesmo em música de Otto

Conforto alucinante, tranquilidade na clareira do caos
O ponteiro, ele rodou mais rápido no mesmo relógio de ontem
O que as horas guardam nos espaços do contra-tempo?
A mulher?

O desejo é um tempo parado
É quando se trocam as datas dos bichos e das flores
É quando aumenta a rachadura da velha parede
É quando se vira a folha, a folha da história
É quando se pinta um fio branco na cabeleira preta
É quando se endurece o rastro de sorriso

No canto dos olhos
Eu sei que a viagem é longa
A voz vai e vem
Você ta aí?
Você ta aí?
Ei, você está aí?

Vontade de abraçar o infinito

Otto e Lirinha:

1 Comentários:

Às 7:58 da tarde , Blogger Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

"O desejo é um tempo parado"
aí só resta a poesia e mais nada... e algumas biritas também

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial